• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Filipe Raposo e Joana Schenker vencem em Cortegaça
Publicado em 19.Aug.2013

Filipe “Cabrela” Raposo e Joana Schenker foram os vencedores da segunda etapa do Bodyboard Pro Tour, em Cortegaça, prova disputada em ondas pequenas e que teve a particularidade de estar inserida no festival Surf At Night.

Filipe “Cabrela” Raposo foi um dos que mais se destacou, ultrapassando heats
muito difíceis até bater na final outro dos destaques da competição, o figueirense Jaime Jesus, o qual conseguiu até surfar a melhor onda da final (7,75), mas sem conseguir bater o ericeirense (14,15 contra 13,75) que há três anos perseguia um triunfo no Nacional Open, tendo mesmo somado dois segundos lugares e ocupado a liderança do circuito em 2011.

Agora, Cabrela volta a liderar, já que os mais diretos concorrentes na
tabela – casos de Tiago Silva e Hugo Pinheiro, respetivamente primeiro e segundo do circuito – ficaram-se pelos quartos de final de Cortegaça.

“Finalmente, venci uma etapa, é verdade. E foi muito bom, apesar do mar estar muito pequeno. Mas parece que, dois anos depois, estou de volta”, congratulou-se Cabrela, recordando a o trajeto até ao lugar mais alto do pódio de Cortegaça: “Passei heats muito difíceis, com o Manel (Centeno) e com o Miguel Adão, que é fortíssimo em ondas deste tamanho, e, às tantas dei por mim na meia-final com o Rui Pereira e consegui passar. Fiz sempre pontuações muito altas e isso ajudou-me a ganhar confiança. Creio que cresci em termos competitivos, já não estou tão ingénuo como há dois
anos e agora sei melhor como posicionar-me, como gerir o heat e jogar com as
prioridades. Isso faz toda a diferença e agora que venha a etapa da Praia Grande, que tem características muito parecidas à minha praia, São Julião”.

Entretanto, na competição feminina, Joana Schenker impôs-se e, numa final a quatro, com um total de 15,25 pontos bateu Teresa Almeida (13,75), Marta Fernandes (10,15) e a madeirense Carina Carvalho (9,00).

Marta Fernandes, em terceiro, mantém a liderança do circuito.”Foi a vitória mais difícil de sempre. Tive a sorte de apanhar as melhores ondas da final e não cair nas manobras”, começou por desabafar Joana, algarvia de ascendência alemã, acrescentando: “É muito difícil motivar-me com condições destas e estive quase para não vir cá, mas depois sabia que não me podia dar ao luxo de deixar fugir mais esta oportunidade. Tinha de ganhar.”
Sublinhe-se que por ter nacionalidade alemã, Joana Schenker não poderá reclamar o título de campeã nacional.

O calendário do Bodyboard Pro Tour 2013 tem mais quatro provas por disputar:  Santa Cruz (24 e 25 de julho);  Cortegaça (15 e 16 de agosto); Sintra (24 e 25 agosto); Açores (Novembro, por confirmar).

Fonte: Federação Portuguesa de Surf

Post: Paula Capela Martins

Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios