• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
A corrida vista por dentro: GPS, o pequeno treinador de bolso
Publicado em 17.Jan.2014
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Já reparou nas centenas de corredores que treinam e fazem corridas com o telemóvel preso ao braço, dentro de uma bolsa? Por causa da música? Sim, também ajuda, embora alguns especialistas defendam que isso nos impede de ouvir e sentir o corpo. Por causa das chamadas de controlo da namorada(o) ciumenta(o)? Talvez, embora atender uma chamada com uma respiração ofegante não seja a melhor maneira de o(a) sossegar. A principal razão tem a ver com um sensor embutido na placa dos modernos telemóveis: o GPS.
O GPS, acrónimo de Global Positioning System, é um sensor integrado nos aparelhos de média/alta gama que permite saber em tempo real a sua posição em qualquer ponto do globo. Simplificando, ele capta os sinais emitidos pelos satélites que orbitam a Terra e calcula a sua posição com uma margem de erro de poucos metros. Para além da posição, o sistema consegue calcular ainda a altitude (útil para um trail, por exemplo), embora com menos precisão do que as coordenadas.
O sistema foi originalmente concebido com objetivos militares, como o direcionamento de misseis, por exemplo. Mais tarde a sociedade civil confiou-lhe outras utilidades mais pacíficas como a navegação automóvel, ou a medição do que consegue fazer com as suas armas mais letais: as pernas. Contar com o apoio de um GPS no seu treino ou corrida pode equivaler a ter o apoio de um pequeno treinador de bolso capaz de o informar das estatísticas vitais – em tempo real e acumulado – da distância percorrida (e por inerência a que falta percorrer), da velocidade instantânea, da velocidade média, da altitude, das calorias gastas e das necessidades de hidratação.
No próximo artigo vamos detalhar melhor as estatísticas mais importantes que se conseguem obter com o uso combinado de um GPS e software próprio de medição de performance e a melhor maneira de os rentabilizar no seu treino e nas corridas. Entretanto, veja nas especificações do seu smartphone (telemóvel inteligente) se este está equipado com o dito sensor.

Post: Bruno Rodrigues

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios