• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
A maioria das pessoas não bebe líquidos suficientes durante o dia
Publicado em 27.Nov.2014
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Atualmente, existe ainda algum desconhecimento sobre a importância de manter os níveis adequados de hidratação e a quantidade de líquidos que, por norma, deve ser ingerida diariamente e em circunstâncias específicas. Isso, aliado ao fato da maioria das pessoas não beber líquidos suficientes ao longo do dia, torna necessário melhorar os níveis de ingestão de líquidos na população. Esta é a indicação dada pelo Prof Dr. Lluís Serra-Majem, Professor de Medicina Preventiva e Saúde Pública da Universidade de Las Palmas de Gran Canaria e presidente da Fundación para a Investigación Nutricional e da Academia Española de Nutrición, que afirma que a hidratação é já uma área com um contexto próprio dentro da nutrição e saúde.

Na verdade, diz o professor Serra-Majem, “é necessário fazer muita pedagogia para consciencializar a população, e mesmo os profissionais de saúde, sobre a importância de uma hidratação adequada”.

 

Cerca de dois terços do nosso corpo é água, um elemento essencial para a maior parte dos processos fisiológicos e que deve ser resposto periódica e regularmente uma vez que o nosso corpo não a armazena. “A ingestão de água ou outros líquidos, como sopas, sumos, refrigerantes ou batidos, e até mesmo alimentos com alto teor de água podem aportar este elemento sempre tendo em conta as calorias tanto das bebidas como dos alimentos”, refere o professor Serra-Majem.

Até há bem pouco tempo só no verão surgia a preocupação da hidratação, parece haver agora uma mudança nesta tendência. “O mesmo se passa igualmente com os atletas, mas a realidade é que o balanço hídrico é algo que afeta a todos nós e que pode comprometer a nossa saúde, especialmente em grupos de risco, como os idosos e as crianças”, diz o professor Serra-Majem. “De qualquer forma, a hidratação sempre tem mais relevância nos períodos do ano em que é mais quente e onde o risco de insuficiência de hidratação aumenta”. Além disso, deve-se ter em conta que os níveis recomendados de ingestão de líquidos dependem das condições ambientais e da atividade física.

“Devemos aprender a hidratar-nos corretamente”, salienta o presidente da Fundación para la Investigación Nutricional, particularmente os grupos da população que necessitam de maior ingestão, como os idosos, as crianças, grávidas ou mulheres que amamentam.”De acordo com este especialista, é especialmente importante estarmos atentos para garantir que mantemos uma boa hidratação durante a manhã e início da tarde, mesmo durante o tempo de estudo e no trabalho ou na condução, bem como durante o exercício ou quando se está exposto a temperaturas elevadas. “Dependendo da intensidade e duração do trabalho, a falta de hidratação adequada pode afetar o desempenho”, diz o professor Serra-Majem. “Uma hidratação inadequada tem influência nas capacidades de desempenho, de fato, em casos de desidratação ligeira de apenas 2% são afetadas várias habilidades cognitivas como a aprendizagem, atenção, memória e velocidade de resposta. Afetando também o aparecimento de dores de cabeça e a diminuição da resposta motora”.

Que a água é um nutriente e como tal deve ser incorporada na ciência da nutrição é algo que cada vez é mais claro, especialmente após a conclusão do 1º Congresso Internacional de Hidratação, que teve lugar no final de 2013. “Ultimamente muitos progressos têm sido feitos ao nível de investigação na área de hidratação, bem como na consciêncialização sobre a sua importância. Na verdade, a Espanha está a exercer grand e liderança nesta área, juntamente com outros países “, ressalta o professor Serra.

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios