• Facebook
  • Google Plus
  • Apple
  • Android
  • Mobile
  • RSS
Inês Domingues revalida o titulo de TempO
Publicado em 13.Apr.2015
Seja o primeiro
a comentar
este artigo.

Inês Domingues revalidou o título nacional de TempO. Disputado no Parque da Cidade do Porto, o Nacional atingiu momentos de grande intensidade e emoção, com o baixo índice de participação a constituir a nota dissonante.

O Parque da Cidade do Porto foi palco da segunda edição do campeonato nacional de TempO. Pontuável para a Taça de Portugal de orientação de precisão Invacare 2015, o evento foi organizado pelo Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, numa parceria com a Invacare Portugal, Federação Portuguesa de Orientação, Instituto Português do Desporto e da Juventude e Câmara Municipal do Porto, através da Porto Lazer, chamando ao  “pulmão verde” da Invicta 19 atletas em representação de sete clubes.

Com traçado de percursos e desenho de desafios de Luís Leite, o Nacional de TempO 2015 dividiu-se em duas fases – qualificatória e final -, participando nesta última os dez melhores tempos da fase qualificatória. Seis estações no primeiro embate e outras quatro na fase decisiva permitiram contabilizar no final um total de 48 desafios, com a particularidade duma das estações – precisamente a última – ser ponto de espectadores, uma inovação no nosso País.
Duelo de titãs

Abrindo as hostilidades, a série qualificatória ofereceu 28 desafios distintos, no final dos quais foi sem surpresas que se percebeu que todos os favoritos à conquista do título integravam o lote de dez atletas apurados para a final. Registando uma percentagem de erro muito baixa, mas a não ser suficientemente lesto na resposta e a contabilizar 440 segundos no final, Luís Gonçalves (CPOC) viria a ser o melhor à entrada para a afinal. Muito menos certeira, mas com um tempo de resposta incrivelmente rápido (inferior a 4 segundos por desafio), Inês Domingues (COC), a campeã nacional em título, contabilizou no final mais um segundo que Luís Gonçalves. De assinalar ainda os 720 segundos registados por Ricardo Pinto (DAHP), único atleta paralímpico a integrar o leque de dez finalistas e a prestação de Maria João Borges (individual), com 737,5 segundos, a fechar o estreito lote de eleitos, batendo ao sprint Júlio Guerra (DAHP), arredado da grande final pela margem de 23,5 segundos.

Na final, Luís Gonçalves voltou a ser o mais certeiro, mas Inês Domingues chegou à vitória com o tempo total de 590,5 segundos. Com mais 78,5 segundos que a vencedora, Luís Gonçalves viria a contentar-se com a segunda posição. O terceiro lugar coube a Edgar Domingues (COC), a distantes 188,5 segundos da sua irmã Inês. Com estes resultados, Luís Gonçalves e Inês Domingues garantem um lugar na seleção nacional de orientação de precisão que, de 20 a 29 de Junho, disputará na Croácia os campeonatos do Mundo desta disciplina. Por sua vez, Luís Gonçalves e Júlio Guerra mantêm a liderança do ranking nacional de orientação de precisão nas classes aberta e paralímpica, respetivamente.
Resultados

1. Inês Domingues (COC) 590,5 segundos
2. Luís Gonçalves (CPOC) 669 segundos
3. Edgar Domingues (COC) 789 segundos
4. Nuno Pires (Ori-Estarreja) 890,5 segundos
5. António Amador (Ori-Estarreja) 997 segundos
6. Cláudio Tereso (ATV) 1005 segundos
7. Grigas Piteira (GafanhOri) 1020 segundos
8. Ricardo Pinto (DAHP) 1063,5 segundos
9. Acácio Porta Nova (CPOC) 1185 segundos
10. Maria João Borges (Individual) 1332 segundos

Envie o seu comentário

Todos os comentários que colocar mostram o seu nome. Ao enviar um comentário está a aceitar os nossos Termos e Condições.

*Campos obrigatórios